Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P.
04
Notícias
2ª Ação de Divulgação e Transferência de Conhecimento - Formas de condução em amendoeiras em sistema superintensivo


Decorreu no passado dia 17 de junho, na Herdade Torre das Figueiras, em Monforte, a 2ª Ação de divulgação e transferência de conhecimento sobre “Formas de Condução em amendoeiras em sistema superintensivo”. Devido à situação atual, o número de participantes foi limitado a 20, representado maioritariamente por técnicos de organizações de produtores e empresas, fruticultores, representantes de empresas comerciais e outros profissionais do setor. 

O objetivo desta Ação foi divulgar os resultados obtidos no âmbito de um protocolo de colaboração técnico-científico entre a Torre das Figueiras Sociedade Agrícola, Lda. e o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária – Estação Nacional de Fruticultura Vieira Natividade (ENFVN). Este protocolo, estabelecido em julho de 2017, visa várias ações de Experimentação e Investigação, nomeadamente o estudo de sistemas de condução em amendoeiras em sistema superintensivo que permitam a mecanização da poda e colheita com o mínimo de perda de produção.

A Sessão de boas-vindas foi efetuada pelo Vogal do CD do INIAV, I.P., João Lima e o sócio-gerente da Torre das Figueiras, Sociedade Agrícola Lda, José Maria Falcão.

Seguiu-se a visita aos ensaios com os três sistemas de condução implementados nas cultivares ‘Soleta’ e ‘Lauranne’, começando o José Manuel Reis (Técnico da Torre das Figueiras) por apresentar as técnicas culturais realizadas desde a preparação do solo para a implantação do pomar (2016) até ao presente. Rui de Sousa (Coordenador da ENFVN/INIAV) apresentou os procedimentos seguidos para a formação dos 3 sistemas de condução - eixo central revestido, palmeta com 3 eixos e o sistema do produtor, bem como as diferenças no tipo e épocas de poda entre os sistemas em estudo. Filipa Queirós (Investigadora do INIAV/ENFVN) apresentou os resultados referentes área seção do tronco, peso da lenha da poda, produção em casca e produção em miolo, bem como os parâmetros biométricos dos frutos. Destacou que em relação à cultivar ‘Lauranne’ o sistema em palmeta com 3 eixos tem-se revelado mais produtivo e com maior rendimento em miolo e o mesmo parece verificar-se na cultivar ‘Soleta’.

Houve ainda oportunidade para visitar os ensaios com duas formas de condução nas cultivares ‘Belona’, ‘Guara’ e ‘Soleta’, tendo o José Manuel Reis apresentado as técnicas culturais realizadas desde a preparação do solo para a implantação do pomar (2014) até ao presente. Rui de Sousa descreveu a seguir as intervenções de poda que foram executadas desde setembro de 2017 até ao presente, e Filipa Queirós apresentou os resultados obtidos até ao momento, concluindo-se assim a Ação.


 
Governo de Portugal
w3c
acessibilidade
seara.com